www.sunvirgin.com->Discography->Voz do Xtabay
Please join the fan club today!
Recording Details
Voz do Xtabay

catalog no: L-244
Brazilian pressing of Voice of the Xtabay has liner notes, label and sleeve text in Portuguese. Yma Sumac was very popular in Brazil and performed a number of concerts there through the years but the album pressings are only now starting to appear outside the country. As with most South American pressings, this release from Brazil was made by Odeon for Capitol Records.

A review is available. A copy exists in the Archives in case there are specific questions about it. The Tiki logo is not on the actual artwork.

Capitol Records - Monophonic - 1952 Brazil   10" LP

Historical notes
Liner Notes
A Voz de Xtabay
Ouvir esta gravação constitui uma exótica experiência musical - uma viagem de descobrimento a novas terras do som, pois nunca houve quem cantasse como Yma Sumac.

"Não existe voz igual no mundo da música", disse Glenn Dillard Gunn, do Washington Times Herald. "Sua extensão é superior à de qual­quer voz feminina do concêrto ou da ópera. Com a mesma facilidade sobe à estratosfera acústica ou mergulha nas profundezas do subcontralto. Uma voz assim só aparece uma vez numa geração".

Em Buenos Aires, disse La Prensa: "A maior revelação musical dos nos­sos tempos".

No Rio de Janeiro, comentou O Globo: "Yma Sumac domina as sen­sibilidades artísticas de todo o Bra­sil com a sua mágica e divina voz... faz-nos esquecer os problemas do nosso mundo moderno como o magne­tismo dêsse dom fabuloso que chega até nós diretamente de Atahualpa, o último dos soberanos incas".

Em Los Angeles, Albert Goldberg, do Times, disse: "Ouvi-Ia tecer êsse fantástico contraponto sôbre os rit­mos complexos do seu acompanha­mento é experimentar, por fim, algo novo em música".

Em em tôda parte a história se re­pete. Yma Sumac é mais do que uma grande cantora: é a maior desco­berta do mundo da música, uma criação da natureza, de voz, rosto e forma incomparàvelmente belos.

Como é possível, realmente, alguém descer às mais recônditas profundezas da escala vocal com essa riqueza de timbre, para, em seguida, poucos pas­sos adiante, "subir à estratosfera acústica", sem perder sua espantosa clareza e seu invulgar brilho? É, sem embargo, uma única voz, uma en­cantadora mulher que consegue o milagre de dominar assim mais de quatro oitavas.

Não admira, pois, que, na miste­riosa terra dos Incas, Yma Sumac fôsse exaltada como o "pássaro que se tornou mulher" e a "voz do ter­remoto". Ninguém na sua aldeia na­tal de Ichocan perdida nos Andes a 16.000 pés de altura, havia ouvido uma voz em forma humana como a dessa "virgem eleita" que cantava nos festivais em honra ao sol.

A notícia do seu extraordinário ta­lento e da sua rara beleza chegaram às grandes cidades e o Govêrno Pe­ruano mandou buscá-la ... resolução que por pouco provocou uma revolta entre os trinta e tantos mil índios que perdiam assim sua cantora sa­grada.

E, com o mesmo esplendor e aban­dono com que cantava para o seu povo, essa filha dos Andes cantou para os críticos, os frequentadores de concertos, as pessoas mais exigen­tes da capital, que também nunca tinham ouvido até então uma voz assim. Atraídos inicialmente pelo imã da novidade, ficavam os audi­tórios tão transpassados de admira­ção quanto a gente das montanhas.

Como é natural, Yma Sumac es­colheu para esta gravação algumas das canções que costumava cantar em sua terra. A música é de Moisés Vivanco, autoridade suprema em te­mas incaicos antigos e o homem que apresentou Yma ao mundo artístico.

As demais músicas são do regente Leslie Baxter que muito contribuiu para tornar esta gravação a joia que é, pela sua capacidade de reter o espírito e o caráter essenciais da música nativa em tôda a sua mara­vilhosa autenticidade. Em colabora­ção com o Maestro Vivanco, entre­teceu fragmentos de temas tradicio­nais, cantos nativos e rituais sagra­dos em contexturas de som que são tão novas e assombrosas quanto a jovem que as canta.

A Xtabay (De uma lenda antiga)

A Xtabay é a mais ardilosa de tôdas as mulheres. Bela como o sol que beija o cimo das mais altas montanhas, é desejada, mas não pode ser alcançada. Sua voz ecoa no sôpro do vento e, compa­radas ao seu estranho amor, as carícias da mais terna virgem parecem mais sêcas do que as fólhas queimadas pelos rigores do inverno. Porque é impossível fugir à atração de Xtabay e ela está sempre presente, mesmo quando se está só.

VOZ DE XTABAY - Música incaica e letra de MOISES VIVANCO.

Regida por LESLIE BAXTER, autor dos arranjos e da música suplementar.

Tracks
(select song title to see other recordings with it)

      side one

    1. Taita Inty    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:57
    2. Ataypura!    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:58
    3. Accla Taqui    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:43
    4. Tumpa!    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 3:16

      side two

    1. Choladas    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:34
    2. Wayra    (Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:56
    3. Monos    (trad., arr. Moisés Vivanco, Les Baxter) - 2:37
    4. Xtabay    (Les Baxter, John Rose) - 3:16
    5. total play time (approx): 23:17

    Back to Top